SEJA BEM-VINDO AO MEU MAR DE EMOÇÕES...

domingo, abril 17, 2011

Algumas das coisas que aprendi na vida...

Que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam.
Que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la.
Que as circunstâncias e o ambiente têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Que ou você controla seus actos, ou eles o controlarão.
Aprendi que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências.
Que paciência requer muita prática.
Que existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar isso.
Que algumas vezes a pessoa que você pensa que vai lhe dar o golpe mortal quando você cai, é uma das poucas que lhe ajudam a levantar-se.
Que só porque uma pessoa não o ama como você quer, não significa que ela não o ame com tudo o que pode.
Que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens: seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém. Na maioria das vezes você tem que perdoar a si mesmo.
Que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido; “o mundo não pára, esperando que você o conserte".





sexta-feira, abril 15, 2011

:-)




Hoje dê um dos seus sorrisos a um estranho.
 Esse pode ser o único raio de sol que ele verá durante todo o dia.

—P.S. Eu Te Amo

quarta-feira, abril 06, 2011

NÃO TE AMO!


Não te amo! Não! Não te amo!
E no entanto quanto não estás, como me apetece morrer
E como invejo o céu azul por cima de ti
E as quietas estrelas, que te podem ver.

Não te amo! – e no entanto, ainda que repita que não
Tudo o que fazes é perfeito para mim
E suspiro na solidão
Lamentando que os outros não sejam assim.

Não te amo! – E contudo
Como odeio as vozes, ainda que amadas
Que quebram as músicas demoradas
Deixadas dentro de mim por ti.

Não te amo - e contudo os teus olhos falantes
Com o seu profundo azul, expressivos e brilhantes
Interpõem-se entre mim e o céu por cima de ti
Mais frequentemente que quaisquer olhos que já conheci.

Sei que não te amo! Mas já vi
Quão divertidos os outros ficam
Quando me vêem olhando perdida para ti.



Caroline Norton, 1808-1877, I Do Not Love Thee
(Tradução livre)