SEJA BEM-VINDO AO MEU MAR DE EMOÇÕES...

terça-feira, fevereiro 22, 2011

É tudo isso...


«Não fala. Não se explica. Não se vê e muito menos se apalpa. A sua dimensão não cabe na própria palavra de definição, nem há palavras exactas que o definam. Não se sabe porquê nem se sabe o sentido na sua existência. Não tem limites quantificáveis nem padrões comportamentais a serem seguidos. Não é incógnito, não é um mistério nem um mito. Ele existe na sua real personificação em actos e euforias sentimentais. Falasse dele soletrando uma palavra, mas essa mesma palavra é tão vazia de conteúdo que nem dele sabe falar na sua plenitude, apenas estabelece uma forma verbal para que possa ser identificado. É muito mais que isso, muito mais que palavras e conceitos. Vai para além das teorias e conversas abstractas. É superior ao desejo humano de egoísmo social estabelecendo pontes entre impossíveis. Não tem cheiro nem cor, pode ser todas as cores ao mesmo tempo, e nesse mesmo tempo não ser nenhuma. Pode tudo e o impossível. Fazemos uso dele mesmo sem sequer ser suposto estar a senti-lo! »

(Ana Soares da Silva Rodrigues Neto, in 'Textos de Amor – Museu Nacional da Imprensa)

segunda-feira, fevereiro 14, 2011

O Amor...

"Dizem que o Amor é difícil, que faz sofrer e que só traz desilusões, e eu agora questiono:
«Será verdade? Será que é mesmo assim?»
 O Amor não é dificil, as pessoas é que o complicam, o Amor só faz sofrer?
 Como tudo na vida, há maus momentos e bons momentos, sem sacrifícios e esforço não se chega onde se quer, por muito que queiramos, e desilusões?
Muitas, poucas, algumas, faz parte da vida, altos e baixos não nos matam, fortalecem- nos e ajudam-nos a resolver o mais difícil dos todos os problemas..."

Amar é saber ultrapassar o impossivel...
Amar é saber dizer que te amo com um simples olhar...
Não existe amor à primeira vista, existe é a pessoa certa no momento certo.

Assim és Tu...


segunda-feira, fevereiro 07, 2011

O Teu Olhar...


«Sexo e intimidade não são a mesma coisa. Pode ter sexo a vida toda e nunca ser íntima com uma pessoa. Tem de haver empatia na relação e gostar de ver através dos olhos do outro. Quando está com ele, está mesmo, sem pensar no que tem de fazer amanhã.»

(J. Fonda, actriz)